COMO CRIAR CÃES DA RAÇA FILA BRASILEIRO COM ÊXITO

Para que a criação tenha êxito, é indispensável que o padrão da raça seja obedecido rigorosamente. Ele é a base para todos os acontecimentos dentro de uma criação. E existe uma só possibilidade de se criar o Fila Brasileiro – com cães selecionados (ou com pedigree); não se aconselha a criação de cães não selecionados, pois não sabemos sua origem.

Quando selecionamos os cães, machos e fêmeas, os mesmos deverão ser avaliados um por um, nos mínimos detalhes. Na seleção o cão deverá ser analisado quanto ao seu caráter, temperamento, cabeça, membros anteriores, membros posteriores, linhas superior e inferior, ossatura, etc., e no final da análise, teremos um resumo exato sobre cada um dos exemplares.

Deverá ser pesquisado ainda, o seu registro (pedigree), verificando-se a legitimidade e a origem de sua geração.

Na seleção,  é determinado os cães que não deverão ser utilizados como padreadores ou matrizes, por serem portadores de falhas/defeitos que não são permitidos pelo padrão oficial. Não se deve selecionar cães com pelagem comprida, cães tímidos ou super agressivos, cães com falhas de dentição graves, cães que não correspondam com o padrão, cães muito baixos ou muito altos. E além da apreciação dos padreadores e matrizes, devemos observar a sua descendência genética.

Criar é planejar e trocar experiência com criadores, juizes especializados na raça, para corrigirmos as falhas e acrescentarmos qualidades, Seriedade e honestidade, são objetivos para a busca da perfeição e renovação das esperanças na realização de um sonho – o de te uma raça cada vez melhor. Só através da união, dos esforços e metas é que vamos aprimorar cada vez mais a raça.

Ser criador de Fila Brasileiro, não significa procriar de forma indiscriminada a raça. Criador é aquele que procura obter sempre os melhores resultado com cada ato de procriação programada.