SUA HISTÓRIA E SUA EVOLUÇÃO

Seria bom, se tivéssemos a verdadeira história da raça Fila Brasileiro, mas o  que se tem por enquanto, são apenas hipóteses. Na verdade não há condições de se determinar a verdadeira origem do Fila Brasileiro, já que não temos dados históricos suficientes para comprovar a origem da raça.

Uma hipótese muito comentada e que circula para se explicar a origem da raça é a de que o Fila Brasileiro descende do Mastiff cruzado com o Bloodhound e com o Buldogue Inglês, onde do Mastiff ele herdou a ossatura, a massa, o porte, a garupa, o dorso e a forma do crânio; do Bloodhound, herdou a pele solta, o olhar tristonho e o faro aguçado. E do Buldogue Inglês, a coloração da pelagem e o temperamento.

Mas essa hipótese, não totalmente destituída da verdade, peca pela impossibilidade de se provar efetivamente sua autenticidade. Porém, o que se tem de concreto, é que o Fila Brasileiro foi reconhecido pelo “Brasil Kennel Clube  em 1946, e posteriormente pela FCI. e a primeira ninhada registrada no país, nasceu em 15.07.1947.

Dentro de sua evolução o Fila Brasileiro vem alcançado um crescimento considerável nos últimos anos e isso provavelmente está acontecendo em virtude do bom trabalho feito pelos criadores, com cruzamentos programados e selecionado, e escolha mais apurada dos padreadores e matrizes. Os criadores estão mais empenhados no desenvolvimento da raça, para o futuro.

O Fila Brasileiro deixou de ser um patrimônio nacional para tornar-se um patrimônio mundial. E hoje temos o Fila em vários países como Itália, Espanha, Portugal, Peru, México, Uruguai, Colômbia, Argentina, Japão, África do Sul entre outros.

Além de tudo isto, o Fila Brasileiro tem ganhado o Best In Show em exposições, fato este que no início dos anos 80 era muito difícil de acontecer, mas que nos últimos 15 anos, tem nos dado vários Filas ganhadores de final de exposição como: Elmo Entrefolhas, Baguera do Tibaitá, Garoto das Aguascalientes, Galdério do Caudilho, Sertanejo do Caudilho, Uasmin do Bronquinha, Snoopy do Ipeúna, Bruxa Brida do Rafuri, Babalu do Pinto Ribeiro, Orun de Vila Olga, Brascan Dardo, Sete Luas do Sul Kindu Olga, entre outros, além dos campeonatos mundiais conquistados no exterior.

Tudo isto prova a evolução da raça nos últimos anos mas para os criadores é muito pouco e queremos mais. O caminha é difícil, trabalhoso, mas com dedicação, honestidade e sorte, chegaremos próximo ao Fila Brasileiro ideal!